Notícias
Sempre selecione essa categoria quando for adicionar uma nova notícia.

1

Um homem morreu eletrocutado na manhã desta segunda-feira (24), na feira da cidade de Aquidabã (SE), a 98 Km de Aracaju.

A informação do hospital do município, é que o homem circulava pela feira quando foi atingido por um cabo de média tensão. Ele ainda foi socorrido, mas já chegou morto ao hospital.

A assessoria da comunicação da Energisa disse ainda que um funcionário da empresa, quando viu que os cabos romperam, ligou para o centro de operação e pediu o desligamento da rede. A Energisa disse que vai avaliar o que provocou o rompimento dos cabos

1

m suspeito de tráfico de drogas foi preso em um micro-ônibus que fazia a linha Aracaju/Lagarto. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou o transporte coletivo no fim da tarde de domingo (23), quando ele passava pelo Km 5 da BR-235 em Nossa Senhora do Socorro (SE).

Com o homem de 36 anos os policiais apreenderam mais de 100g de maconha distribuídas em 101 papelotes. Segundo a PRF, o suspeito estava cumprindo pena no regime semiaberto e cada papelote seria vendido por até R$ 10. A ocorrência encaminhada para Delegacia de Policia Civil em Aracaju.

7

equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da cidade de Itabaiana (SE) informou nesta sexta-feira (21) que localizou o corpo de um menino de 11 anos na cidade Malhador.

Segundo a polícia, a criança foi sequestrada na cidade de Itabaiana na última segunda-feira (17).“Recebemos a informação de que o corpo poderia ser de uma criança sequestrada no município de Itabaiana e infelizmente isso foi confirmado”, disse o delegado Fabio Santana.

Ainda segundo ele as investigações sobre crime estão em andamento.

defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ingressou nesta quinta-feira (20) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) com um mandado de segurança contra o bloqueio de bens determinado pelo juiz Sérgio Moro. O ex-presidente teve bloqueados mais de R$ 600 mil de contas bancárias e cerca de R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada.

Lula foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo da Lava Jato envolvendo um triplex em Guarujá. Ele foi acusado de receber o apartamento da construtora OAS como propina por contratos na Petrobras. O ex-presidente nega.

De acordo com o juiz federal, o objetivo do bloqueio de bens é garantir “a reparação dos danos decorrentes do crime”. Já os advogados de Lula consideraram a decisão “ilegal e abusiva”.

O pedido de bloqueio foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF), em outubro de 2016, antes da sentença que condenou o ex-presidente. O despacho em que Moro autorizou o bloqueio do dinheiro é de 14 de julho deste ano.

Além do bloqueio de R$ 606.727,12 de contas bancárias do ex-presidente, houve sequestro e arresto de dois carros, três apartamentos e um terreno, em São Bernardo do Campo, em São Paulo. As medidas cautelares evitam que o réu se desfaça de bens ou valores que podem ser entregues à Justiça após decisão definitiva. Ainda foram bloqueados cerca de R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada, em nome de Lula.

Lula condenado

No dia 12 de julho, Moro condenou o ex-presidente a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. Ele pode recorrer em liberdade.

A acusação é pela ocultação da propriedade de uma cobertura triplex em Guarujá, no litoral paulista, recebida como propina da empreiteira OAS, em troca de favores na Petrobras.

Na avaliação dos advogados que representam Lula, Moro teve atuação política na sentença. Esta foi a primeira vez na história que um ex-ocupante da Presidência foi condenado por um crime comum no Brasil.

Depois da sentença, a defesa do ex-presidente, então, pediu esclarecimentos sobre 10 tópicos da decisão de Moro. Esse recurso apresentado chama-se “embargos de declaração” e é usado como instrumento por advogados para solicitar ao juiz revisão de pontos da sentença.

Moro rebateu e negou omissões, obscuridades ou contradições na sentença.

Suspensão imediata e devolução

A defesa de Lula pediu ao tribunal sediado em Porto Alegre, que julga processos de segunda instância relativos à Operação Lava Jato, a suspensão da decisão e a devolução dos valores ao ex-presidente, segundo informou nota divulgada pela assessoria de imprensa do ex-presidente. Leia abaixo a íntegra:

Protocolamos hoje (20/07) no Tribunal Regional Federal da 4a. Região pedido (“mandado de segurança”) para que seja anulada, por manifesta ilegalidade, a decisão proferida pelo juízo da 13a. Vara Federal Criminal de Curitiba que determinou o sequestro e o arresto de bens e valores do ex-Presidente Luiz Inacio Lula da Silva.

Foram apontadas as seguintes ilegalidades: (i) ilegitimidade do Ministério Público Federal para pedir medida cautelar destinada a assegurar o pagamento de futuro e eventual “dano mínimo” em favor da Petrobras, que é sociedade de economia mista (pessoa jurídica de direito privado) e não se enquadra na hipótese prevista no art. 142, do Código de Processo Penal; (ii) impossibilidade de sequestro de bens que têm origem lícita e que foram adquiridos por Lula antes dos fatos afirmados pela acusação; (iii) inexistência de qualquer fato concreto que demonstre risco de dilapidação patrimonial e justifique a necessidade de medida cautelar patrimonial.

Pedimos a concessão de medida liminar, para suspender de imediato os efeitos da decisão de primeiro grau – para que haja a restituição disponibilidade dos bens e valores de Lula – e, ao final, para que seja reconhecida definitivamente a ilegalidade da decisão impugnada, com a consequente declaração da sua nulidade.

Cristiano Zanin Martins

5

Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) ficou sem energia por mais de três horas na noite de quinta-feira (20). A situação deixou pacientes e acompanhantes preocupados, pois até a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foi afetada pelo problema.

“Por volta das 18h40 o transformador da área externa do hospital, de responsabilidade da Energisa, estourou e provocou a queda de energia em partes das dependências do Huse. Na sequência, o gerador entrou em funcionamento. As áreas críticas com UTIs não apresentaram ocorrências graves, apesar do susto. Imediatamente, as equipes entraram em ação para que não houvesse falta de assistência aos pacientes”, explicou a Secretaria de Estado da Saúde (SES), através de nota oficial.

De acordo a assessora de comunicação da SES, Rosângela Dória, o hospital possui sete geradores. “A equipe da Energisa deixou tudo pronto às 21h30. Técnicos foram acionados para fazer a decodificação dos setores de tomografia, raio-x, área clínica feminina e laboratório. Por volta das 23h, todo o Hospital de Urgência estava trabalhando normalmente e sem maiores prejuízos aos pacientes”, disse o comunicado.

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Sky Bet by bettingy.com