PROGRAMA JORNAL DA TARDE

Das 16:00:00 às 18:00:00
Com: IRAN GONÇALVES

Partida épica de Max": tricolor recorda classificação para quartas de final da Série D em 2016

Partida épica de Max": tricolor recorda classificação para quartas de final da Série D em 2016

29/06/2020 as 07:56

 tão sonhado acesso do Itabaiana à Série C bateu na trave algumas vezes. Apesar disso, a partida contra o Campinense no estádio Etelvino Mendonça, que aconteceu na Série D em 2016 está marcada até hoje na memória do tricolor Victor Hugo Lima.

Torcedor do Itabaiana, Victor Hugo no Estádio Etelvino Mendonça — Foto: David Fontes

Torcedor do Itabaiana, Victor Hugo no Estádio Etelvino Mendonça — Foto: David Fontes

Na primeira fase do Brasileiro, o Tricolor da Serra começou perdendo para o Potiguar fora de casa. Depois disso, venceu o Serra Talhada no Mendonção e empatou com o Uniclinic duas vezes. E, na sequência, mais duas vitórias, contra Serra Talhada e Potiguar. A equipe terminou em segundo lugar no Grupo A8.

O adversário do primeiro mata-mata foi o Uniclinic, time que enfrentou na fase de grupos. E o Tremendão eliminou a equipe cearense por 3 a 2 no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, após empatar o primeiro duelo em 0 a 0, no Mendonção. Na terceira fase, foi a vez do Campinense, que havia passado pelo Globo FC. A Raposa começava jogando em casa. Com Negretti inspirado em Campina Grande, marcando um gol em cada tempo no estádio Amigão, a equipe rubro-negra abriu uma boa vantagem rumo à classificação: 2 a 0.

- Lembro que, na semana do jogo decisivo, muitas pessoas até da própria cidade não acreditavam tanto que podíamos reverter o resultado de Campina Grande, tanto é que o público da partida foi relativamente baixo. Acredito que éramos pouco mais de mil pessoas naquela noite, e graças a Deus que eu era um desses e consegui ver de perto a grande reação do nosso time - conta o tricolor Victor Hugo Lima.

Itabaiana x Campinense, Etelvino Mendonça em 2016 — Foto: Lays Rocha / TV Sergipe

Itabaiana x Campinense, Etelvino Mendonça em 2016 — Foto: Lays Rocha / TV Sergipe

No jogo de volta, 21 de agosto de 2016, o Campinense se apegava a um retrospecto favorável. Desde a primeira edição do Campeonato Brasileiro da Série D, em 2009, apenas quatro times conseguiram reverter uma desvantagem de dois gols no mata-mata: Alecrim (2009), Cianorte (2012), Botafogo-PB (2013) e Globo FC (2014).

Com dez minutos de jogo, Tiago Garça acertou a trave. Aos 20, Elyeser só não abriu o placar porque o goleiro salvou. Três minutos depois foi a vez de Sorriso chegar com perigo. Aí o Campinense reagiu e o goleiro tricolor começou a mostrar que aquela noite era dele. Defendeu o chute de Reginaldo Júnior e Jussimar não aproveitou o rebote, para alívio da torcida tricolor no Mendonção. Após cinco minutos, Max fez mais uma defesa e na sobra João Carlos, que tinha o gol "aberto", não conseguiu abrir o placar. Antes do final do primeiro tempo os visitantes ainda tiveram outra chance e Daniel travou o chute de Jussimar.

- Sufocamos o adversário o primeiro tempo inteiro e mesmo assim o gol não saiu e o nervosismo foi aumentando. No segundo tempo, as duas principais lembranças que tenho em mente são: o zagueiro adversário se jogando no chão e acertando a mão na bola, e o juiz marcando o pênalti; e principalmente a cabeçada do Léo Paraíba no segundo gol - recorda o torcedor do Itabaiana.

O pênalti citado por Victor Hugo aconteceu no início do segundo tempo. O árbitro marcou mão de Magno dentro da área e Fabiano Tanque foi para a cobrança. O atacante do Tricolor da Serra abriu o placar aos 2 minutos e aumentou a esperança da torcida. Faltava um gol para a equipe levar o jogo para os pênaltis, mas ele não veio tão fácil assim.

Itabaiana x Campinense: Veja os gols da partida e disputa por pênaltis
--:--/--:--

Itabaiana x Campinense: Veja os gols da partida e disputa por pênaltis

Jó tabelou com Fabiano Tanque e tentou marcar, mas Glédson defendeu. Aos 28 minutos, Jussimar quase empatava o jogo. Livre dentro da área ele dominou, girou e chutou para fora. A Raposa chegou novamente, desta vez com Alex Sandro em chute cruzado. Aquela pressão dos visitantes deixava a torcida cada vez mais apreensiva. E então Max apareceu de novo. O goleiro tricolor defendeu um chute de Jussimar, aos 35 minutos, e outro de Thiago Brito, aos 38. Dois minutos depois veio o tão aguardado gol para fazer o Mendonção "explodir" em festa. Diogo Pereira cruzou na área e Léo Paraíba, de cabeça, ampliou o placar. O gol levava o jogo para a decisão por pênaltis.

Aos 42, Fabiano Tanque perdeu a chance de matar o jogo e, na sequência, quase o Campinense marcava com Alex Sandro. Max estava lá mais uma vez para fechar o gol tricolor. O último lance de perigo foi do Itabaiana, porém Léo Paraíba não conseguiu marcar e a classificação foi decidida nos pênaltis.